O 5º Elemento

Dica de Clássico na Netflix – O 5º Elemento

Você com certeza já ouviu falar nesse filme. Se ainda não assistiu, vale a pena ver esse sci-fi de 97 que conta com muita ação, comédia e um toque de romance.

A história se passa em 2263 e é interessante ver a maneira como o filme, lançado em 1997, retrata o futuro. Algumas previsões já é possível dizer que falharam e são obsoletas nos dias de hoje, como monitores de tubo e celulares semelhantes a telefones sem fio, por exemplo. Outros pontos entretanto ainda não foram alcançados pela nossa cultura e tecnologia (e espero que, no caso das roupas e penteados, nunca cheguem a ser).

O plot é simples: de 5000 em 5000 anos um grande mal aparece para destruir a Terra. Nenhuma arma funciona contra o mal, que no filme é representado por uma bola de fogo. Apenas uma arma pode neutralizar esse poder destrutivo: unir quatro pedras que representam os quatro elementos ao quinto elemento: uma mulher chamada Leeloo. A misteriosa mulher de cabelos cor de cenoura é vivida por Milla Jojovich e esse é seu primeiro papel de real destaque antes de se tornar a eterna heroína Alice, da franquia Resident Evil. Boa parte do filme ela fala em uma língua criada pelo diretor Luc Besson com o auxilio da própria Milla. Uma curiosidade: no final das gravações os dois já conseguiam conversar nessa língua criada por eles. Enfim, sem dar spoilers, Leeloo foge e acaba por acaso encontrando um taxista chamado Korben (Bruce Willis) que passa a ajuda-la então em sua missão de salvar a Terra. Imagino que se a história não fosse tão fechada certamente teriam feito uma continuação. Fico feliz pois continuações nem sempre dão certo e poderiam ter estragado tudo.

Chris Tucker em O Quinto Elemento Há várias cenas de ação que remetem aos anos 80. Cenas impossíveis, muitos tiros (mas sem sangue nesse caso). Tem comédia com equilíbrio e até um pouco de romance super clichê, com um final idem.

Um dos grandes destaques do filme é o personagem Ruby Rhod interpretado por Chris Tucker. Ele dá um show à parte e é realmente engraçado. Outro que está muito bem é Gary Oldman vivendo o vilão caricato Zorg. Oldman tem esse dom de se transformar para cada papel, uma grande qualidade do ator.

O quinto elemento é perfeito pra quem gosta de ficção científica, ação e comédia. O próprio filme não se leva a sério em várias partes e isso é um ponto positivo.

Assista e corrija essa falha no seu banco de filmes assistidos, depois comente aqui o que achou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s