Outcast Primeira Temporada Crítica

Outcast : Confira o que achamos da primeira temporada

Outcast, série produzida por Robert Kirkman (The Walking Dead, Fear The Walking Dead) terminou sua primeira temporada. A estréia foi precedida por um certo hype e a série foi renovada para a segunda temporada antes mesmo de começar a ser exibida. Mas será que agradou como se esperava?

O enredo conta a história de Kyle Barnes, um homem que, quando criança, viu sua mãe demonstrar de repente um comportamento violento e, sem qualquer motivo, tentar matá-lo. Ele a enfrenta para salvar a própria vida e no final dessa luta ele vê algo horrível sair de dentro dela, deixando-a catatônica, estado do qual jamais sairia.

Anos depois Kyle se casa e tem uma filha com sua esposa. Parece que as coisas finalmente estão melhorando para ele mas um dia ele chega do trabalho em casa e percebe que sua esposa está fazendo com sua filha exatamente o que sua mãe fez a ele anos antes. Percebendo que a esposa está fora de si ele começa a lutar com ela para salvar a filha e no final, assim como no passado, ele vê uma coisa sair do corpo de sua esposa. A esposa acorda no hospital com marcas pelo rosto e corpo, sem se lembrar de nada do ocorrido. Kyle é acusado de ter agredido gravemente a esposa e, para poupá-la da verdade, ele assume a culpa. Kyle vai embora da casa em que morava com sua esposa e filha e volta para a casa onde cresceu. A série começa desse ponto em diante.

O líder religioso local, Reverendo Anderson, pede ajuda a Kyle para lidar com um caso de possessão demoníaca. A vítima é um menino e Rev. Anderson, com a ajuda de Kyle, consegue libertar a criança. Anderson percebe que Kyle tem um dom e pretende tê-lo como seu auxiliar. Ao longo dos anos o reverendo realizou uma série de de exorcismos em membros da comunidade local e acreditou que os rituais tivessem tido sucesso, mas a presença de Kyle abala a aparente tranquilidade que predominava na região e o reverendo é obrigado a admitir que nenhum dos exorcismos que ele praticou sem a ajuda de Kyle teve verdadeiro êxito. Anderson pretende levar Kyle em cada casa onde ele tenha feito o ritual para refazer o trabalho de uma vez por todas, mas Kyle tem dúvidas quanto ao que o reverendo considera ser seu “dom”e não está seguro se deve fazer isso. É aí que chega na cidade Sidney, um homem misterioso que parece ter muito a ver com os estranhos fatos que tem ocorrido na cidade. Vai ficando claro que os casos de possessão não são isolados entre si, mas fazem parte de um grande plano em curso. Há dúvidas sobre o que de fato são essas entidades que o reverendo chama de demônios. Esses seres denominam Kyle como o “Outcast” e ele parece ter algo em si que as entidades desejam e temem, ao mesmo tempo.

Outcast - Primeira temporada

Os atores trabalham bem, de modo geral. Entretanto falta algo para que se crie um vínculo entre os personagens e o público, especialmente se tratando do protagonista, Kyle Byrnes, interpretado pelo ator Patrick Fugit. O personagem construiu uma muralha em torno de si para afastar os outros e suportar seus traumas, e essa muralha funciona tão bem que afasta a audiência também. É difícil criar empatia, já que não conseguimos nos aprofundar nos anseios e sentimentos do personagem, que está sempre distante. Já o Rev. Anderson, interpretado muito bem por Philip Glenister, é passional, irascível, brigão, generoso e boa gente, é mais fácil para o público criar um laço com ele. Reg E. Cathey como o chefe de polícia Giles faz um ótimo trabalho como sempre e os demais não se distinguem individualmente mas fazem um bom trabalho. O vilão Sidney (Brent Spiner) de olhos frios, cabelos prateados e chapéu preto, é um pouco cliché, não sei ainda se gosto dele.

O ritmo decai um pouco da metade para o final da temporada. O último episódio por outro lado é corrido demais, deixando algumas resoluções no ar, o que me incomodou um pouco. No último episódio fizeram uma revelação sobre um personagem muito próximo de Kyle, para impressionar a audiência. Para mim não funcionou pois já havia pensado nisso um tempo antes, não foi surpresa nenhuma.

Enfim, a história é intrigante, a série é bem feita e conta com um bom elenco e uma equipe competente, aposto minhas fichas na próxima temporada. Imagino que a história terá um bom desenvolvimento. A série ainda não está entre minhas queridas, mas tenho boas expectativas e certamente verei a próxima temporada. E você? O que achou?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s