Matthew Perry

Setembro amarelo: Você não está sozinho

Setembro foi escolhido para ser o mês da prevenção ao suicídio. O suicídio é uma das dez principais causas de morte no mundo, atingindo especialmente pessoas na faixa etária entre 10 e 34 anos. Noventa por cento dos suicídios são motivados por depressão ou outras desordens psiquiátricas. Outras causas podem ser emocionais ou financeiras. Para quem está passando por uma fase difícil assim é muito importante saber que não está sozinho nessa. Existem no mundo milhões de pessoas passando por uma situação tão difícil dentro de si mesmas que chegam a pensar em desistir da vida e acabar com tudo. Há um tabu muito grande em torno desse assunto e poucos conseguem conversar abertamente à respeito. De fato poucos irão realmente entender, outros irão até mesmo julgar. Não é fácil para ninguém compreender que alguém próximo simplesmente gostaria de desaparecer desse mundo. Mas existem sim pessoas capazes de  ouvir e de ajudar e, com o apoio e o suporte necessários, fica possível atravessar esse problema.

Muitas vezes se desce ao fundo do poço após uma perda, uma decepção amorosa, uma tragédia, um fracasso profissional ou financeiro. Outras vezes a coisa acontece tão aparentemente sem motivo que alguns (a própria pessoa em questão, inclusive) podem não achar válido esse sofrimento, por considerarem que a pessoa tem tudo e não tem razão alguma de se queixar. Não se deve deixar levar por esse tipo de julgamento. Esse sofrimento é legítimo e merece atenção, amor e cuidado. Subestimar esse tipo de sentimento só vai atrapalhar a busca pela abordagem adequada do problema. Todos merecemos viver bem conosco e com os demais. Quando se está triste/deprimido faltam forças para a maioria das atividades simples do cotidiano e isso pode afetar o rendimento no trabalho e nos estudos, além de prejudicar a sociabilidade, gerando mais cobranças e mais frustração.  Procurar ajuda o quanto antes para aprender a administrar essa situação da melhor forma é imprescindível.

Se você conhece alguém que passou a demonstrar comportamentos tais como: se isolar das pessoas, comer muito pouco ou exageradamente, faltar a compromissos, queixar-se o tempo todo de cansaço e mostrar falta de interesse em atividades que antes considerava prazerosa, procure conversar com essa pessoa e se mostrar solícita.

Pressionar pode ser extremamente prejudicial. Procure ser acolhedor, não piore as coisas. Trouxemos aqui casos de pessoas conhecidas e queridas do público que, mesmo aparentemente vivendo vidas de sucesso e tendo tudo que alguém pode sonhar ter, tiveram que encarar a tristeza, a depressão e outros problemas de ordem mental e conseguiram superar.

Russel Brand:

img1

O comediante lutou contra problemas ligados à depressão durante sua adolescência, como automutilação e transtornos alimentares. Ele sentia vergonha por pensar que não eram problemas comuns aos meninos como ele. Na idade adulta abusou de álcool e drogas até ser encorajado a procurar ajuda. Há dez anos está bem e largou a bebida e as drogas.

Matthew Perry:

img2

O ator estava no elenco de Friends, a série de maior sucesso na época, era um dos mais bem pagos da TV e estava no auge de sua carreira. Entretanto na vida privada ele lutava contra a depressão e o alcoolismo e o abuso de medicação. Segundo ele era uma situação que ele tentava manter em segredo, mas muitos ao redor percebiam. Matthew hoje está bem, mas chegou a ser internado em clínicas de reabilitação por diversas vezes.

Jon Hamm:

Hamm poses at the premiere for the fourth season of the television series "Mad Men" at the Mann 6 theatre in Hollywood

O ator de Mad Man perdeu o pai quando tinha vinte anos de idade e entrou em depressão profunda. Fez terapia e tomou antidepressivos nesse período. Sobre a terapia ele diz “dar uma outra perspectiva quando se está preso na sua própria espiral”. Sobre os antidepressivos ele atesta serem úteis na medida que “mudam a química do cérebro a ponto de fazer pensar: ‘Eu quero acordar cedo pela manhã; Eu não quero dormir até as quatro horas da tarde. Quero levantar e fazer minhas coisas…'”

Demi Lovato:

Demi Lovato

Por muito tempo a estrela da Disney escondeu seu problema com a depressão, até que uma sessão de fotos revelou as cicatrizes nos braços da cantora. Demi praticou a auto mutilação algumas vezes, sofria com desordens alimentares e depressão. Hoje atua como embaixadora de outros jovens com problemas de saúde mental.

Lady GaGa:

Lady Gaga

A cantora e atriz sempre fala sobre o assunto para encorajar outros que, como ela, sofrem com problemas psiquiátricos. Segundo relata em entrevistas, seu problema com a depressão e a ansiedade vem desde a infância e ela lida com isso todos os dias. Ajudar as pessoas tem sido sua arma para vencer diariamente essa luta.

Vamos nos informar mais, divulgar e buscar ajudar aqueles ao nosso alcance que se encontram nessa situação, sem julgamentos. E se você está encarando essa barra não o faça sozinho. Procure ajuda profissional e pessoas da sua confiança. Fale a respeito. Você não é o único, essa situação não te define, não atesta nada contra você, não te diminui. E o mais importante: apesar de às vezes parecer, lembre que você não está sozinho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s