The Crown - A mais nova (e cara) série da Netflix

The Crown – A mais nova (e cara) série da Netflix

A nova série da Netflix, The Crown, conta a história do reinado da atual rainha do Reino Unido, Elizabeth II. Especialistas estimam que mais de quatrocentos milhões de reais tenham sido investidos na produção da série e isso não passa despercebido. A reconstrução de época, os cenários, as locações, os figurinos, tudo impecável, deslumbrante. Tanto dinheiro e ainda o anúncio de que mais cinco temporadas estão pela frente mostram a confiança nesse projeto e há motivos para isso. Peter Morgan, o criador da série, já havia retratado Elizabeth II em seu filme A Rainha e ele sabe o fascínio que o mágico véu de mistério em torno da pessoa sob a coroa provoca no imaginário das pessoas comuns. O que pensa, o que sente, como é a vida privada da rainha que representa uma monarquia milenar, a mais respeitada, rica e adorada da Europa, cujos membros se esquivam de jornalistas e fotógrafos como se fossem verdadeiros astros de cinema? Talvez seja o mais antigo reality show que existe.

Claire foy faz um trabalho digno interpretando a jovem Elizabeth. Sua postura é austera, mas inquieta. Os olhos mostram forte caráter ao mesmo tempo que traem insegurança. Esse jogo traduz a transformação da mulher absolutamente ordinária, submissa diante do esposo e da mãe, dedicada aos filhos, ofuscada pela irmã mais nova, na personagem central de uma instituição que representa a identidade de um povo. Apesar dessas sutilezas é impossível não perceber como a protagonista, apesar dos esforços da atriz, é incrivelmente chata. Sua rebeldia dura em torno de dez minutos, até que algum velho inexpressivo e monótono diga o que se espera que ela faça e então ela cede. Por se tratar de uma biografia não é possível dar cores muito fortes à essa personagem sem fugir da realidade. Eu li, certa vez, a biografia da Condessa de Paris, descendente da nossa princesa Isabel e senti o mesmo tédio pairando no ar, enquanto assuntos triviais como louças, vestidos e interesses românticos eram tratados como sendo de última urgência. Desculpe Vossa Magestade, mas suas urgências não me convenceram.

img2

John Lithgow interpreta Winston Churchill e temos aqui algum deleite. Churchill se elegeu Primeiro Ministro no final do reinado de George VI e início do reinado de Elizabeth. Um homem de 85 anos cuja energia e agudeza de raciocínio já falham, mas que carrega o peso de sua fama e o desejo de terminar sua carreira o mais tarde possível e com chave de ouro. Muitos tentam derrubá-lo, mas sua teimosia férrea o sustenta até muito depois do recomendável. A caracterização do personagem está impecável e rende grandes momentos da série. Outra que tira um pouco o público do tédio é Margareth (Vanessa Kirby), a irmã mais jovem da Rainha. Ela é em tudo oposta a irmã. Atraente, jovial, arrojada no modo de se vestir e de se comportar, sedutora e confiante. O clima de competição entre elas dá algum tempero para a série. Na vida real a verdadeira Margareth também foi um tanto rebelde, quase uma Diana Spencer de seu tempo. Na série é de cortar o coração quando a obrigam a abrir mão de seu amor por se tratar de um homem divorciado.

img3 Em minha opinião a heroína dessa série não é Elizabeth, mas sim a Coroa, símbolo máximo da idéia por trás desse intrincado sistema cheio de liturgias e símbolos que confere uma forte identidade ao povo britânico. Por ela um grupo de pessoas, em especial o monarca em si, tem que abrir mão de muito de sua vida individual e se dedicar a personificar um ideal por um bem maior, na intenção de ajudar a garantir a unidade e a estabilidade de um povo. Em troca eles tem o glamour, as roupas, as propriedades, os carros, as jóias e tudo que acompanha a vida da nobreza, mas deixam sua espontaneidade e o direito de conduzir suas vidas como quiserem de lado. Nem todos suportam, isso é bem mostrado na série. Com previsão para durar seis temporadas com 10 longos episódios em cada uma, parece que vamos envelhecer um pouco ao lado da Rainha Elizabeth. Quem interpretará a famosa Lady Di?

Anúncios

Um comentário sobre “The Crown – A mais nova (e cara) série da Netflix

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s