Passageiros Crítica

Passageiros é mesmo uma bomba?

Passageiros, do diretor Morten Tyldum (responsável pelo excelente O Jogo da Imitação) assumiu a tarefa de fazer um blockbuster com os queridinhos da America: Jennifer Lawrence e Chris Pratt. Jogo ganho, só que não. Apesar de não ser uma bomba completa o filme falha em vários aspectos.

O longa conta a história de dois passageiros (Aurora e Jim – Lawrence e Pratt) a bordo de uma espaçonave que acordam da hibernação antes do tempo previsto em sua jornada de 120 anos até outro planeta chamado Homestead II.  A premissa é interessante e os primeiros minutos do filme prendem bastante a atenção do espectador. Algumas cenas lembram 2001: Uma Odisseia no Espaço e tem também uma cena num bar (com o excelente Michael Sheen como barman) que lembra O Iluminado, ambos de Kubrick.

Porém, numa nave com 5.000 passageiros a bordo e quase 300 tripulantes, seria mais do que bem-vindo algum background. O que ocorre na Terra nesse tempo? E esse novo planeta, o que tem lá? Qual o passado dos personagens? Nada disso é mostrado, deixando mais difícil estabelecer um vínculo com os dois protagonistas.

(spoilers à frente)

Os problemas do filme começam quando, passado o trauma inicial, Jim resolve acordar Aurora, por se achar apaixonada por ela (e isso só pela aparência e alguns vídeos do perfil dela). Obviamente que nada disso justificaria a terrível atitude que condenou Aurora a morrer dentro da nave. A revelação desse erro não causa o impacto que se espera. A moça fica irritada com Jim por um tempo e OK.

Passageiros O filme tenta mostrar o lado de Jim chegando a beirar a falta de ética. Uma outra situação desperta Gus (Laurence Fishburne), o comandante da espaçonave. Convenientemente, pois a nave começa a apresentar uma série de problemas técnicos e Gus é a única chance para a sobrevivência de passageiros e tripulação. O drama de Jim envolvendo sua escolha se perde e não volta mais à tona. Ficou tudo meio que por isso mesmo.

(fim dos spoilers)

O filme conta com ótimos efeitos especiais e a parte visual é incrível, mas é o carisma dos dois atores o que segura um pouco o filme (principalmente por parte de Jennifer Lawrence). A ausência de clima e inconsistências do roteiro fizeram  o filme derrapar, o que acabou rendendo críticas negativas. Se o espectador não se importar com  algumas coisas pode sim aproveitar o filme, afinal é um filme no espaço, com bons efeitos e final “feliz”.

Passageiros Crítica

Dúvidas:

a)Como plantar uma árvore em uma nave direto no metal, sem solo?

b)Por que um ator do porte de Andy Garcia apareceria num filme por menos de 10 segundos sem UMA fala sequer?

Deixe sua resposta (se existir) nos comentários.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s