Daniel Day-Lewis: Curiosidades sobre a carreira do camaleão do cinema

Daniel Day-Lewis anunciou através de uma porta-voz ao site Variety que encerrará definitivamente sua carreira de ator, logo após a conclusão de seu filme ainda inédito Phantom Thread. Tendo dedicado quarenta e sete de seus sessenta anos de vida a arte de atuar, Daniel Day-Lewis é considerado um ator brilhante, talvez o melhor de sua geração. Com seu talento para desaparecer dentro de cada papel, tornando cada trabalho seu uma peça única, Daniel Day-Lewis é conhecido por sua dedicação quase sem limites na construção de cada personagem. Para O Último dos Moicanos, por exemplo, ele passou um período na natureza selvagem e aprendeu a construir canoas e esfolar animais. Já para compor o papel do artista irlandês Christy Brown de Meu Pé Esquerdo (que nasceu com paralisia cerebral) , Day-Lewis passou todo o tempo durante as filmagens se locomovendo em uma cadeira de rodas e sendo alimentado por seus colegas da produção. Já para viver o cartunesco vilão Bill Cutting de Gangues de Nova York o ator contratou dois artistas circenses para ensiná-lo a atirar facas e passou algumas semanas trabalhando num açougue. Como resultado sua interpretação engoliu o Amsterdã de DiCaprio e foi considerada por muitos críticos como a única coisas boa de verdade do filme.

img2 Ao comparar Bill, Lincoln ou o Daniel Plainview de Sangue Negro, fica evidente a capacidade camaleônica do ator. Por imergir tão completamente no personagem e ser pessoalmente um homem discreto com sua vida pessoal, Daniel Day-Lewis é tido por muitos como uma pessoa meio misteriosa. Num momento de rara exposição emocional o ator, em seu discurso ao receber o SAG Award de 2008, dedicou o prêmio a Heath Ledger, elogiando suas atuações em A Última Ceia e Brokeback Mountain (num trecho ele diz que a cena de Ledger no trailer em Brokeback foi a coisa mais tocante que ele já viu na vida). Após o episódio a mídia explorou essa abertura a ponto de irritar o ator, que passou a se recusar a comentar o assunto. Daniel também criticou os jornalistas na época, dizendo que eles estavam fazendo um circo em torno da morte de Ledger.

img3

Daniel Day-Lewis sempre foi muito seletivo com seus trabalhos e, ao longo de sua carreira, recusou alguns papéis em filmes que acabaram se tornando grandes sucessos. Lestat de Entrevista com o Vampiro (que foi dado a Tom Cruise) e Aragorn de O Senhor dos Anéis (dado a Viggo Mortensen) são alguns exemplos, mas o caso mais irônico foi quando recusou o papel de Andrew Beckett, protagonista do filme Philadelphia, para fazer o Gary Conlon de Em Nome do Pai. O papel foi para Tom Hanks e ambos concorreram ao Oscar daquele ano, com Tom levondo a melhor na ocasião.

Daniel Day-Lewis se despede da carreira ainda na crista da onda. Esperamos que seu Phantom Thread, que será lançado nos cinemas em 25 de dezembro, feche essa brilhante trajetória com chave de ouro. A julgar pela data da estreia dá para suspeitar que vem um filme de Oscar por aí.

Parabéns, Sir! E você? Qual filme dele é seu favorito?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s