The Strain – Review da quarta temporada

(spoilers)

The Strain, a série criada pelo famoso Guillermo Del Toro, chega ao fim com temporada mediana mas que surpreende ao trazer um excelente desfecho, com direito a redenção, sacrifícios e muitos strigois.

Após os eventos do final da terceira temporada onde uma ogiva nuclear acabou explodindo em Nova York, uma nova ordem é instaurada na cidade. Governo e strigois formam um acordo chamado de A Parceria, com a promessa de restaurar a ordem em meio ao caos, mas isso é apenas fachada para planos muito mais sinistros do Mestre em relação aos humanos sobreviventes.

Doutor Ephraim Goodweather está isolado de todos, cheio de culpa por ter sido seu próprio filho a detonar a bomba que matou várias pessoas e mergulhou Nova York num inverno nuclear. Os conflitos da família Goodweather acabaram dando a oportunidade desejada pelo Mestre de tomar o garoto para si para torná-lo seu futuro receptáculo.

Setrakian, apesar de alguns contratempos, continua em sua missão para destruir o Mestre e seu fiel servidor, Eichorst. Com a ajuda de Fet e de Invictus ele planeja detonar uma segunda ogiva nuclear para eliminar o chefe dos Strigoi

A trama da Parceria acabou se esticando muito e os arcos dos protagonistas, especialmente o de Duch, não empolgaram. Outro que ficou “perdido” nessa temporada foi Gus que, apesar do carisma do personagem, passou a maior parte dos episódios fazendo coisas desinteressantes ao lado de personagens secundários. Essa lentidão no ritmo foi uma das diferenças entre a última temporada da série e seu excelente inicio, lá em 2014.

The Strain

Depois de tantas tentativas de vencer o Mestre o grupo consegue arquitetar um plano que finalmente funciona e o líder dos sugadores é eliminado. Como dito, o começo da série foi muitas vezes superior ao seu desenvolvimento, mas no fim pudemos ver o grande sacrifício de personagens queridos e a redenção de outros nem tanto. Se no começo o Mestre usou o amor das pessoas para propagar seu vírus, no fim foi esse amor que causou sua destruição.

Os últimos minutos da série mostram como a cidade se recuperou após cinco anos desde a vitória da humanidade. Um final feliz e satisfatório para essa série que, apesar das derrapadas, vai deixar saudades.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s