Dark – A nova série sensação da Netflix

Dark é a primeira série em língua alemã lançada pela Netflix. Criada por Baran bo Odar, a história trata de temas densos como bullying, eventos sobrenaturais, infidelidade, segredos familiares, conspiração, suicídio e, de quebra, viagem no tempo.

O ano é 2019. A pequena e pacata cidade de Winden, na Alemanha, vê sua aparente tranquilidade ser abalada pelo desaparecimento de dois adolescentes da comunidade. Um deles, Mikkel Nielsen, é filho do policial Ulrich Nielsen (Oliver Masucci), um homem marcado pelo desaparecimento de seu irmão mais novo, Madds, trinta e três anos antes.

O pânico começa a se instalar entre os habitantes e, aos poucos, segredos antigos de três gerações de famílias locais vão sendo revelados, trazendo a tona toda a podridão de uma comunidade que sempre viveu de aparências.

A cinematografia é fria, escura, com várias cenas sob chuva e vastas florestas. As belas paisagens passam a representar o abandono e a solidão vividos pelos personagens, que alteram suas expressões entre a máscara de frieza e a tensão absoluta. A trilha sonora serve tanto como referência temporal (inclusive quero destacar a participação da música Pleasure to Kill, do Kreator, sendo ouvida por um adolescente bad boy em 1986), quanto, no caso do tema original, para reforçar a tensão crescente.

img2

A cada cena uma pequena peça de um grande quebra-cabeça (que só faz aumentar a cada episódio) vai sendo dada ao público sedento. Por incrível que pareça, o excesso de enigmas e escassez de informações não atrapalha o engajamento da audiência. São muitas histórias emaranhadas, ligadas no presente por fatos passados e futuros, onde todos os fatos e personagens estão conectados de alguma forma. Fica difícil acompanhar detalhes da trama, mostrada em três linhas linhas temporais diferentes, mas nem por isso deixa de ser uma experiência viciante.

Três coisas posso dizer sobre DARK: 1- Não tem nada a ver com Stranger Things; 2- Quem se aventurar a assistir, lá pelo sétimo episódio, estará com o cérebro “bugado”; 3- É uma série difícil, mas é impossível parar de assistir.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s